5 dicas para organizar financeiramente o seu intercâmbio

5 dicas para organizar financeiramente o seu intercâmbio

Sonho de grande parte dos estudantes, fazer intercâmbio está cada vez mais fácil por causa das parcerias entre os governos de diferentes países. No entanto, o custo para se manter no destino é um dos fatores decisivos. Algumas medidas podem ajudar nesse momento, como fazer um planejamento financeiro. Confira dicas para se preparar para o intercâmbio e realizar a viagem dos sonhos:

Vida financeira

Antes de começar a pensar em um intercâmbio, é preciso considerar a sua renda e observar se há dívidas pendentes. Quando tudo estiver pago, vale a pena organizar uma planilha de gastos para verificar quais deles podem ser cortados. Esse controle ajudará a ter uma visão ampla do quanto pode economizar e, portanto, é bastante útil, especialmente para quem não tem ideia de quanto juntar por mês.

Caso não seja adepto de planilhas, utilize aplicativos no celular. O importante é analisar as entradas e as saídas do dinheiro, assim saberá exatamente o tipo de viagem que poderá realizar. Além do curso em si, o estudante deve levar em consideração a hospedagem, a alimentação, os passeios e, claro, o tempo de estadia. Se quiser fazer o intercâmbio no próximo ano ou ficar um longo período no exterior, será necessário cortar alguns gastos e pensar em formas de conseguir mais dinheiro, como trabalhar nos finais de semana ou fazer atividades como freelancer para outras empresas.

Antecedência

É mais fácil juntar dinheiro ao longo dos meses do que de uma só vez. Pensando nisso, vale mais a pena guardar uma quantia razoável antecipadamente. Além disso, fechar um pacote meses antes pode garantir um bom desconto e até a possibilidade de parcelar o intercâmbio em valores fixos. Ter dinheiro suficiente para aproveitar o local também facilita a realização de uma viagem mais tranquila, sem pensar em dívidas posteriores.

Escolha do destino

Sabendo o quanto você pode gastar no intercâmbio, é fácil e seguro escolher o destino, o período e o tipo de viagem. Atualmente, existem pacotes para todos os bolsos e até a opção de trabalhar no exterior, dependendo do nível de idioma e da idade do turista.

A Australian Centre te ajuda a encontrar o melhor pacote para a Oceania, tendo em vista o seu orçamento e objetivos. Algumas cidades possuem custo de vida menor do que outras, além disso, você pode dividir o quarto e ficar em uma hospedagem estudantil, caso queira economizar.

Poupança

Com a viagem em vista, é chegada a hora de fazer uma poupança para aproveitar melhor a viagem. Se possível, faça uma poupança pré-agendada, isto é, quando o banco retira da conta corrente uma quantia determinada e a coloca automaticamente na poupança. Isso te ajudará a evitar esquecimentos e a criar o hábito de poupar sempre.

Como o valor entre as moedas oscilam frequentemente, é importante fazer uma reserva quando o real estiver favorável. O dólar americano, por exemplo, chegou a custar mais de R$ 4 em 2015, mas depois o valor caiu. Quando a moeda do destino está em queda, é uma excelente época para comprá-la e cobrir os primeiros gastos da viagem.

Cartão pré-pago

O cartão de crédito, apesar de ser um aliado, pode encarecer a viagem, pois a cotação acontece no dia do fechamento da fatura, além de ter taxas especiais. Isso quer dizer que o valor pago no momento da compra pode não ser o mesmo no vencimento da fatura caso a moeda sofra uma variação.

Por outro lado, no cartão pré-pago, o usuário compra créditos já na moeda de destino e pode fazer pagamentos em débito, transações virtuais e saques. Mais seguro do que carregar as notas vivas, o cartão pré-pago é uma alternativa para economizar e ter mais controle financeiro em outro país.

Mail