A experiência de um cliente da Australian Centre em Sydney (Parte 3)

Conseguimos nossa casa! Não é uma casa de 5 quartos com piscina e de frente para o mar que queríamos no começo, porém atingimos 1/3 dos objetivos, durmo todo dia com o barulho ensurdecedor das ondas e a primeira visão que tenho quando acordo é do sol transformando a água em espelho. Nos deparamos com diversas situações novas tentarei ao menos passar uma idéia sobre  como é alugar, fazer a mudança e mobiliar uma casa por aqui.

Para quem é marinheiro de primeira viagem e não detém muitos amigos por esses lados, sem dúvida que a melhor alternativa é ficar, pelo menos um período, na acomodação ofertada pela Australian Centre, por exemplo, algo pronto para morar e sem se preocupar com mais um problema, assim ganha-se tempo para entender a realidade daqui, como funciona o transporte, definir o conceito de perto e longe, comparar a vida urbana da City com a tranquilidade das praias, para ai tomar um decisão sobre qual o estilo que vida a seguir:

  1. morar em um hostel conhecendo pessoas novas todos os dias, aproveitando as eternas baladas.
  2. Alugar um quarto em uma casa, opção mais barata que o hostel, mas tem que rezar para que os flatmates serem legais.
  3. Ou então juntar uma galera amiga e alugar uma casa…

Com vários amigos queridos morando por aqui não precisei passar por essa etapa de adaptação e antes mesmo de decidirmos vir para Sydney, já sabíamos com quem moraríamos.

O sistema de locação por aqui é um pouco diferente do Brasil, melhor estruturado, porém mais burocratizado e uma pedra no sapato dos recém chegados. Para alugar uma casa você deve possuir uma série de documentos que vão somando pontos, carteira de motorista, folha de pagamento, referências, extrato de banco entre outros. Atingido a pontuação mínima você torna-se elegível para fazer uma proposta pela casa. Eis que força do dinheiro entra em cena: o número de semanas de aluguel adiantadas e o valor que você está disposto a pagar mensalmente tornam-se fatores decisivos. Natural que estudantes e viajantes sejam muitas vezes preteridos, eu no papel do proprietário faria o mesmo, mas conseguimos!

Contrato fechado agora precisávamos de coisas essenciais como, cama, mesa de jantar, geladeira, sofá e tantos outros pequenos utensílios.  Alugamos uma Van e partimos rumo ao IKEA, loja que vende moveis que são facilmente montados e com um preço muito bom.  Riscamos alguns itens da lista e ao menos conseguimos local para dormir e para comer. Próximo passo, geladeira e maquina de lavar e lá fomos nós em uma loja de eletrodomésticos usados, compramos uma geladeira muito boa por ¼ do preço de uma nova e alugamos uma maquina de lavar por apenas AU$25,00 por mês.

Apesar de se  22:00 nosso dia ainda estava longe de acabar, ainda faltava nosso sofá e escrivaninhas para os quartos, mas esse é um capítulo a parte:

Aqui na Australia, como em tantos outros lugares do mundo existe a cultura do Clean Up, processo organizado que traz ganhos para todos, desde as pessoas que livram-se de itens que não tem mais utilidade e não precisam deslocar-se até nenhum  lugar, a cidade que fica livre de terrenos repletos de entulho, chegando até pessoas que precisam de moveis e com pouca grana na carteira para comprar novos, obviamente somos os de orçamento curto e de posse da Van iniciamos nossa caça.

Sem sombra de dúvida essa foi a parte mais gostosa de todo o processo. Sofá, duas escrivaninhas, dois criados-mudos, uma mesa para nossa varanda, pratos, quatro cadeiras de diretor de cinema, uma televisão, um dvd player, um home theater e muitas outras quinquilharias que na empolgação fomos pegando. Parecíamos crianças brincando de caça ao tesouro , quando achamos peças interessantes viajamos nas histórias que poderiam ter por trás daqueles objetos largamos a própria sorte.

Compramos, alugamos  e pegamos coisas na ruas, ganhamos presentes de amigo e montamos nossa casa. Enfim uma nova etapa começa, bons momentos estão por vir.

Confira as fotos e até o próximo texto.

Abraços

Marco Estrella

Mail