A importância da apresentação de documentos para a embaixada da Austrália

Você já decidiu que o destino de seu intercâmbio será a Austrália. Está começando a se organizar para esse projeto e logo chega o primeiro desafio: conseguir o visto para a terra dos cangurus. Um dos primeiros passos é acessar a página do Departamento de Imigração e Proteção de Fronteiras (DIBP) da embaixada da Austrália, e definir qual tipo de visto é ideal para seus planos.

Você sabia que o país oferece vistos especiais para quem está em trânsito e passará, no máximo, 72 horas em solo australiano? Só por esse fato já é possível imaginar a quantidade de informação com a qual você precisará lidar para vencer essa etapa, não é mesmo?

Antes que as dúvidas aumentem, leia este artigo! Nele, reunimos informações importantes que vão colaborar para que você saiba a importância da entrega dos documentos na embaixada da Austrália — ou, dependendo do tipo de visto, da solicitação online do documento — e conheça os procedimentos para isso. Abordamos aqui 4 dos tipos de visto que você pode requerer. Boa leitura!

Visto de estudante

Esse tipo de visto, subclasse 500, é para quem decidiu se dedicar ao menos por 14 semanas a um curso na Austrália. Ele possibilita ao estudante trabalhar por 40 horas quinzenais e pode agregar, em um mesmo processo, cônjuges, companheiros e filhos com idade inferior a 18 anos, desde que comprovem ao Departamento de Imigração e Proteção de Fronteiras (DIBP) os vínculos declarados.

Em geral, essa modalidade de visto possibilita permanecer na terra dos cangurus ao longo do período do curso, acrescido de um período de férias. É uma boa oportunidade para aproveitar o país e suas praias especiais, e ideal para quem deseja cursar graduação, pós-graduação ou aprender o idioma inglês de forma profunda e completa.

Para solicitar o visto de estudo, você precisará apresentar para a embaixada da Austrália uma série de documentos, entre eles alguns formulários que devem ser preenchidos no site do governo australiano. Por essa parte ser de extrema importância em seu processo, uma excelente ideia é procurar o auxílio de uma agência especializada nesse tipo de serviço.

Grande parte dos formulários a serem preenchidos estão em inglês e, em alguns casos, todo o documento comprobatório que você precisa enviar deve ser traduzido para o idioma do país. Nessas etapas, é muito importante contar com bons profissionais para que seu visto seja aprovado sem problemas.

Pode ser que, em seu pedido de visto, sejam solicitadas evidências de suas habilidades com a língua inglesa, e esse é um ponto importante a ser observado. Isso porque, caso essa exigência não seja cumprida, seu requerimento pode ser negado. Para cumprir essa etapa, o ideal é apresentar o certificado de exames de proficiência em língua inglesa, como o IELTS. Essa solicitação se relaciona ao tipo de curso que você fará, portanto, ao escolhê-lo, já se prepare para cumprir suas exigências.

Outro ponto importante (e que contar com uma agência especializada vai fazer toda a diferença), é para providenciar os documentos de comprovação de renda. No processo de aplicação para o visto, você deverá apresentar para a embaixada da Austrália comprovantes de que tem condições de se manter no país durante o período de sua estadia. Isso inclui gastos com o curso e as despesas para a sua manutenção e a de seus acompanhantes, se for o caso.

Para tanto, você pode enviar documentos comprobatórios de renda dos últimos três meses, como contracheques, comprovantes bancários, imposto de renda e comprovantes de investimentos (exemplo: CDB, DI, Renda Fixa e referenciados). Mande também os comprovantes dos pagamentos que já realizou em relação à viagem.

Nisso estão elencados os gastos com curso, moradia e outras despesas que comprovem suas condições de se manter na Austrália. Se você receberá ajuda de pais ou cônjuges para o financiamento de sua estadia no país, não se esqueça de anexar os documentos deles — isso será decisivo na avaliação de seu pedido de visto.

Outro tipo de documento muito importante a ser apresentado é o de que você tem vínculos com o Brasil e intenção de retornar ao final de seu curso. Além disso, você também deverá redigir uma carta de intenção, em que declarará seus planos na Austrália. Não esqueça que, em alguns casos, toda a documentação deve estar traduzida para o inglês.

Na maioria dos casos, a documentação deve ser enviada online, junto com os formulários que deverão ser preenchidos ou, em casos específicos, depositados em caixa de coleta na embaixada da Austrália em Brasília.

Visto de turista

Se pretende fazer um curso de até 90 dias na Austrália, o visto de turista, subclasse 600, é boa opção. Porém, dedique-se totalmente aos estudos e ao turismo, pois trabalhar não é uma possibilidade nesse caso, tampouco agregar familiares ao mesmo processo, pois cada membro da família deve solicitar seu próprio visto. Essas são diferenças importantes em relação ao tipo de visto anteriormente abordado, além do tempo de duração.

Para o visto de turismo, você também deverá apresentar ao Departamento de Imigração e Proteção de Fronteiras (DIBP) documentos que comprovem a sua capacidade de se sustentar no país durante sua estadia. É desejável, ainda, apresentar os documentos relativos a seu curso e que comprovem sua intenção de retornar ao Brasil.

O visto de turismo tem duração de 12 meses e, a cada vez que você entrar no país, pode permanecer por 90 dias. Por mais que pareça mais simples, o processo para esse tipo de visto é tão complexo quanto o de estudante, por isso, não deixe passar nenhum detalhe e invista em uma agência especializada para ajudar na organização da documentação.

Visto de trânsito

Você sabia que, se vai ficar em solo australiano por até 72 horas, entre um voo e outro, precisa de um visto específico? É o visto de trânsito. Essa subclasse de visto não pode ser solicitada online. Os documentos para sua aplicação devem ser encaminhados à embaixada da Austrália em Brasília ou entregues pessoalmente lá.

Fique atento a essa exigência para não ter sua viagem interrompida por falta de documentação.

Visto de negócio

Essa subclasse de visto australiano é para quem vai participar de seminários, feiras, treinamentos, conferências, reuniões de negócios ou afins. As atividades contempladas devem ser relacionadas à área de negócios e não podem ser remuneradas por instituições australianas.

O visto de negócio tem duração de 12 meses e você tem direito a múltiplas entradas na Austrália. A cada uma delas, é possível permanecer no país por, no máximo, 90 dias. A documentação a ser apresentada à embaixada é praticamente a mesma das opções anteriores.

É preciso acrescentar documentos comprovatórios da atividade que será desenvolvida no país, como carta convite de empresa australiana, em caso de reunião de negócios ou conferências, e declaração do empregador informando cargo e tempo de serviço. Caso a viagem seja custeada pela empresa, é importante informar esse fato na declaração, além de ressaltar o objetivo da viagem e o tempo de estadia. Vale adicionar à documentação o itinerário da viagem e a reserva das passagens.

Para todas as modalidades de visto, o Departamento de Imigração e Proteção de Fronteiras do Governo Australiano não recomenda que os requerentes comprem as passagens antes de ter sua solicitação finalizada e aprovada, mas é uma boa prática enviar comprovantes das reservas dessas como prova de sua intenção de retornar ao Brasil.

Com tudo o que pontuamos, você pôde perceber que a apresentação dos documentos na embaixada da Austrália ou online é uma etapa fundamental para obter o seu visto. A documentação a ser entregue pode variar de acordo com seus planos no país e o seu perfil. Além disso, vale frisar novamente que ela deve estar traduzida para o inglês em alguns casos. Para não ter problemas, procure uma agência especializada na solicitação de vistos.

Não deixe de considerar que o tempo de processamento da solicitação de visto varia de acordo com a subclasse para a qual você vai aplicar. Por isso, essa deve ser uma das primeiras etapas da sua jornada de preparação para a viagem.

Agora que você já sabe o que fazer para a apresentação dos documentos no Departamento de Imigração e Proteção de Fronteiras (DIBP) para obter o visto, ficou com alguma dúvida? Conte para a gente nos comentários, assim poderemos ajudá-lo!

Mail