Como economizar no intercâmbio? Conheça 8 segredos

Fazer um intercâmbio é um privilégio e, definitivamente, uma das melhores experiências que alguém pode ter. Conhecer novos lugares, pessoas, idiomas e culturas faz parte de toda a riqueza adquirida nessa fase da vida, e é comum voltar para casa mais amadurecido pessoal e profissionalmente.

Sim, embora seja enriquecedor poder viver em outro país, a fluência adquirida no idioma nativo é o ponto principal dessa escolha. Muitas das grandes empresas procuram por profissionais capazes de se comunicar sem dificuldades em outras línguas — principalmente em inglês e espanhol — e, nesse ponto, é bastante vantajoso ter um intercâmbio no currículo.

No entanto, o problema de muitas pessoas é a questão financeira, pois é necessário investir, no mínimo, em passagens aéreas, hospedagem, curso e alimentação, o que pode assustar o intercambista no começo do processo.

Mas nada tema, pois, mesmo com um orçamento mais apertado, há muitas maneiras de conseguir controlar seu dinheiro na hora de viajar. Separamos 8 dicas de como economizar no seu intercâmbio. Confira!

1. Escolha um destino que caiba no seu bolso

A primeira coisa que você deve fazer é definir quanto está disposto em gastar durante o período fora do Brasil. Com essa decisão tomada, é hora de escolher qual país melhor se adéqua ao seu orçamento. Pesquisar o custo de vida dos destinos e as moedas locais é o caminho mais eficiente para começar a planejar a viagem.

Além disso, o custo de vida pode variar dentro dos países, portanto, é importante estudar todas as possibilidades antes de escolher ir diretamente para a capital. Muitas vezes, o valor da acomodação é menor nas cidades do subúrbio, mas o transporte pode ficar mais caro. Coloque tudo na balança antes de fechar o intercâmbio.

O período do ano em que pretende viajar também pode influenciar nos valores. Tente evitar as épocas de alta temporada, em que os preços tendem a ficarem mais caros.

2. Organize-se financeiramente

Decidido o orçamento inicial e o destino, fica mais fácil controlar seus gastos. Faça um planejamento de todas as suas necessidades diárias, como transporte, alimentação e hospedagem, e quanto cada atividade custará. Dessa maneira você saberá quanto poderá despender com outras coisas, como passeios e compras.

Para facilitar, é altamente recomendável a elaboração de uma planilha de organização financeira no Excel para controlar as despesas diárias. Assim, você não perde o controle do seu dinheiro e sabe o que ainda pode ou não gastar.

3. Pesquise, pesquise e pesquise um pouco mais

A maioria dos países oferece promoções para estudantes, principalmente para atividades culturais e passeios turísticos, por isso, é sempre bom fazer uma boa pesquisa sobre seu destino antes de embarcar.

Outra dica de como economizar é ficar atento aos cupons de desconto oferecidos pelas lojas e restaurantes. Essa prática é muito comum em alguns países e, normalmente, são disponibilizados no próprio site dos estabelecimentos.

Além disso, é bom ficar atento aos mercados da região em que você ficará hospedado, pois, assim como aqui no Brasil, os preços podem variar bastante de uma loja para outra. Pesquise o melhor custo-benefício para satisfazer seu orçamento.

4. Planeje sua alimentação diária

A alimentação é um quesito que se deve ter maior cuidado. Claro que, em uma viagem para um país diferente, comer em restaurantes é uma bela forma de aprender bastante sobre a cultura local.

Certo, mas e no dia a dia? Comprar refeições todos os dias pode desfalcar seu orçamento, que você poderia usar para outras coisas, como compras e atividades culturais.

A dica é: faça sua comida. Essa é a forma mais barata de se alimentar, além de ser mais saudável do que comer em fast-foods todos os dias. Compre seus ingredientes (lembra do mercado com preços melhores?) e faça a maior parte das suas refeições.

5. Matricule-se com antecedência

Escolhido o destino, é hora de decidir o curso e a escola. Pesquise por instituições com referências, que tenham valores que caibam no seu bolso e que, principalmente, combinem com seus objetivos no intercâmbio.

Matricular-se com antecedência ajuda no planejamento da viagem e, muitas vezes, você pode conseguir uma condição de pagamento melhor, com prazos maiores para parcelamento e até descontos.

6. Use o transporte público

Nada de táxi! Uma ótima forma de economizar na sua viagem é utilizar o menor número de transportes possíveis — o famoso “bater as perninhas pela city”. Claro que, muitas vezes, fazer tudo que quer a pé é impossível.

Nesses casos, use o transporte público. As grandes cidades oferecem uma grande variedade de meios de transportes, como ônibus, metrô, trens e até mesmo bicicletas! Além disso, é comum existir passes semanais ou mensais de uso, o que acaba saindo bem mais em conta.

7. Procure a melhor hospedagem para você

Existem diversos tipos de hospedagens na hora de fazer um intercâmbio, como hostels, alojamentos de escolas ou universidades e casas de família.

Normalmente, quando se pensa em economizar, a melhor opção é a casa de família, em que você aluga um quarto na casa, podendo usar o banheiro e até a cozinha em alguns casos. Assim, é possível cozinhar suas próprias refeições e economizar uns trocados, como já dissemos.

A vantagem das acomodações, por outro lado, é ficar mais perto do local do curso, o que garante um custo menor na hora de se deslocar.

Faça as contas e decida entre qual opção tem o melhor custo-benefício para você.

8. Considere arrumar um emprego

Alguns países, como a Austrália e a Nova Zelândia, possibilitam que você trabalhe e estude ao mesmo tempo. Para isso, é necessário um visto de estudante, que permite trabalhar até quatro horas diárias.

Essa é uma ótima opção de intercâmbio: possibilita o ganho de um salário para ajudar nas despesas enquanto estuda e ainda melhora a fluência na língua nativa, já que no trabalho é necessária a interação com diversas pessoas.

O intercâmbio é uma ótima oportunidade de aprender e crescer, além de agregar muito ao currículo. E, conforme mostramos, existem diversas formas de fazê-lo sem gastar muito. Planeje sua viagem com calma, tenha sabedoria na hora de gastar e saiba como economizar. Não deixe sua oportunidade passar. Lembre-se: viajar é a única “compra” que torna você mais rico.

E aí, este post foi útil para você? Ficou com alguma dúvida? Conte para a gente nos comentários!

Mail