Desembarcando em Melbourne e primeiro Natal longe.

É gente, vida de intercambista, não é nada fácil. Tudo é bem complexo! Seja antes ou durante o intercâmbio. Durante a preparação para a realização do intercâmbio, o percurso é facilitado por agências, como a Australian Centre, que lhe oferece o suporte adequado.

Mas quando chega o momento de você desembarcar no país e na cidade escolhida (no meu caso, escolhi Melbourne, na Austrália) você já se depara com o seu maior desafio: a compreensão da língua. Para tentar solucionar este meu primeiro obstáculo, venho utilizando um joguinho bem conhecido: Jogo das Mímicas. E estou conseguindo me sair bem neste joguinho rsrsrs.

Sobrevoando a Austrália

Durante o voo e até estar com os meus dois pezinhos em minha mais nova casa, vivi a feliz situação de conhecer uma brasileira no mesmo avião e que mora em Melbourne há 6 anos. Dividimos um táxi até a minha casa. Se não fosse por ela, o taxista teria me cobrado por 6 pessoas, pelo fato do carro ser uma mini van. Mas reforço que, para quem vem com pouca bagagem, compensa pegar o SKYBUS, dentro do aeroporto. Este estiloso ônibus leva você para a City (o Centro de Melbourne) fazendo paradas em alguns dos principais hotéis da cidade. Se por acaso sua acomodação ficar próxima a algum desses hotéis, compensa muito você pegar o SKYBUS, até pelo preço ser mais atraente que um táxi.

Flinders Station - Melbourne

Chegando em ‘casa’, veio o meu segundo obstáculo: a adaptação com o novo horário australiano. Em meu primeiro dia em Melbourne (dia 26/11), eu dormi de dia e não conseguia dormir a noite. Já na primeira semana, para eu tentar sanar o cansaço do vôo e a questão do horário, eu dormia bem cedo, geralmente às 18h e acordava às 06h da manhã.

No dia 27/11, no domingo, eu fui fazer o reconhecimento do trajeto da minha nova casa até a escola, pois assim, conseguiria calcular o ‘time’ e, de antemão, identificar o endereço da escola.

Nesta minha nova casa há um rapaz neozelandês, minha amiga brasileira Thaila (em que conheci o ano passado, quando eu estive de férias em Melbourne), e mais um casal, sendo ele britânico e ela brasileira.

Pessoal da minha nova casa – Housemate’s

Lembrem-se: apenas no início do seu intercâmbio, é extremamente importante um breve contato com pessoas brasileiras, pois serão elas que lhe fornecerão as melhores dicas sobre a cidade e, inclusive lhe indicarão onde encontrar trabalhos. Jamais perca o seu foco, no meu caso, aperfeiçoar o meu inglês.

Sobre a minha primeira semana de aula, há pouco o que se falar, pois tudo o que a Australian Centre havia me dito, eu comprovei no dia-a-dia da escola: houve aplicação do teste (escrito e oral), onde a escola avalia o seu nível de conhecimento do Inglês e lhe encaminha para sua respectiva classe.

Eu estou no Pre-Intermediate. Na escola há muitos asiáticos. E vale ressaltar: SPEAK ENGLISH, ONLY. Estas são as plaquinhas que você mais encontra dentro da escola. É terminantemente proibido dialogar em outra língua, mesmo que você esteja ao telefone com sua família no Brasil ou dentro do banheiro. A IMPACT, leva a sério este tema! Se acaso você for pego falando outro idioma, diferente do Inglês, você será convidado a se retirar de dentro da escola e só retornar no dia seguinte. Por isso, que até a data de hoje, eu não consegui identificar quem são brasileiros que estudam lá. Ahhh e cabe lembrar que eu só estou estudando na IMPACT, por que eu fui convencida pela Australia Centre, após inúmeros argumentos positivos sobre a escola. A escolha da escola foi fantástica!!

Minha Classe – My Classroom

Para não pesar muita bagagem, eu resolvi não trazer notebook e comprar um novo aqui. Após pesquisas de preços em algumas lojas, acabei realizando uma compra via site, onde a empresa estava com uma promoção: na compra de um notebook com + AUD 199,00 você ganhava um X-BOX (presente já direcionado para o meu namorado, rsrsrs)… Mas jamais imaginei que fosse haver tantos transtornos em realizar uma compra por Internet na Austrália. Eles ligam para você, querendo confirmar os seus dados e se realmente foi você que realizou a compra. Como o meu Inglês ainda não está um Luxo, eu não conseguia entender nada durante a ligação. Aí, resolvi recorrer a um dos diferenciais da escola Impact: os Conselheiros (eles são em 3, sendo que cada um é destinado a ajudar os estudantes que não falam muito bem o Inglês). Há um brasileiro (auxilia os estudantes latinos), há uma japonesa (auxilia os estudantes do Japão e da China), há uma pessoa que nasceu no Taiwan (auxilia os estudantes do Taiwan e da Coréia). Com isso, o Fernando (conselheiro da Impact) foi o meu salva-vidas. Ele avisou  a empresa em que eu comprei o Notebook que eu não falava Inglês e que acaso surgisse novas dúvidas, para que eles entrassem em contato via e-mail. Após este inicial processo, compra aprovada, fiquei apenas no aguardo da entrega, que demorou uns 15 dias. Três dias antes, eles te ligam para agendar a data da entrega. E como eu precisava estar presente na entrega, tive que faltar na escola, pois o horário da entrega é durante o período comercial. Mas valeu a pena esperar! Agora posso me dedicar em escrever para vocês.

O Fernando (conselheiro da Impact) também me entregou um material da escola de excelente uso: uma apostila de apresentação sobre sites de emprego, modelos de currículos, passo-a-passo de como se inscrever no Taxi File Number, o que dizer durante uma entrevista de emprego, como abrir conta na Austrália. E foi fundamental para estes meus primeiros dias.

Chegado o tão desejado final de semana, fizemos em minha casa um BBQ brasileiro, com direito a picanha, samba e truco. Após o churrasco, fomos a um clube chamado CAT NIGHT dançar Salsa… O que me ajudou a queimar vários TIM TAMs (o melhor biscoito do mundooo).

We love TimTam!!!

Foi a minha amiga Thaila que me indicou para o meu primeiro trabalho em Melbourne. Eu e ela fomos trabalhar na cozinha de um Circo (eles oferecem jantar para os convidados), nós finalizavámos os pratos, juntamente com os Chefs de cozinha australianos. Vivenciando 100% o inglês e comendo muito bem!!!

Em minha segunda semana, consegui trabalho com estes mesmos Chef’s, no próprio Buffet deles. Minha função era ajudar a elaborar os pratos e lavar louça na máquina industrial. Eu estudei e trabalhei, durante 4 dias seguidos, totalizando as 20 horas permitidas pelo governo Australiano. Foram 4 dias bem corridos, mas satisfatório em estar em um ambiente com dois mestres cucas australianos. Estou apenas aguardando próximos eventos neste Buffet, para retornar a trabalhar lá.

Já na escola, o nosso professor Vicent, nos levou para o Mercado South Melbourne, para pesquisarmos preços e produtos. E lá mesmo, cada um deveria comprar uma lembrancinha para realizarmos a tradicional troca de presentes, vulgo Amigo Secreto. Eu tirei um rapaz colombiano, chamado Fernando e dei a ele uma Banana de Cerâmica (bem típico brasileiro) e eu ganhei uns passarinhos de gesso. Em seguida, o professor nos levou para a praia de St. Kilda. Estava um dia bem quente, por isso o professor preferiu entrar num bar e pagou cerveja para todos. Fizemos o costumeiro brinde – Cheers!!! – mas como eu não bebo, devolvi a garrafa para o balde. Foi um dia diferente e animado!

Passeio com a turma!!!

O clima natalino, não é muito forte em Melbourne. Há poucos lugares enfeitados para o Natal e, geralmente, onde eles existem, os australianos fazem filas enormes apenas para visualizar de perto as decorações. Um exemplo é a loja MYER, todos os dias há filas para tirar fotos das vitrines decoradas.

E por falar em clima natalino, me mostraram este vídeo e representa a real situação de uma pessoa que está em outro país e longe de sua família. O vídeo é lindo e emocionante!! Espero que vocês curtam, pois é assim que a gente se sente passando uma época tão especial longa de nossa família. Sempre um aperto no peito.

http://www.youtube.com/watch?v=u0pHvb81DVo

Espero que esse período de Festas seja maravilhoso para todos nós, que 2012 chegue com força total e traga ainda mais histórias para partilhamos!!!�
No próximo ano, eu volto contando mais novidades (nossa, até parece que é muito tempo, né?!).

Mail