Morar no exterior é um fator decisório para contratação nas empresas?

morar no exterior

Você já pensou em como morar no exterior é capaz de potencializar as suas chances de ser contratado por uma empresa internacional, no Brasil? A vivência fora diz mais sobre si do que você pode imaginar à primeira vista, e empresas de sucesso estão atentas a esse fato.

Essa experiência pode, inclusive, ser fator de decisão entre candidatos em um processo seletivo. A razão disso é que viver em outro país faz com que o indivíduo tenha uma série de experiências que o fazem um profissional diferenciado.

Quem mora fora precisa desenvolver uma série de competências e habilidades importantes para um profissional atualizado, como a facilidade de adaptação a novos contextos. Por isso, além de investir em sua formação acadêmica, buscar uma experiência internacional, por meio de um intercâmbio, é uma excelente opção, afinal isso pode garantir o seu tão desejado cargo.

Portanto, não tenha dúvidas, invista em um intercâmbio e aumente suas chances de conquistar o emprego dos seus sonhos. E para que você saiba mais sobre como morar no exterior pode deixá-lo mais perto da vaga ideal, preparamos este artigo. Continue a leitura e conheça as vantagens de se morar no exterior. Confira!

Principais vantagens de morar no exterior

Aprender novas culturas

Essa característica é valorizada pelas empresas no momento da contratação, afinal, elas também têm sua cultura. Nesse ponto, é mais interessante investir em um candidato que demonstre maior capacidade de adaptação cultural, pois há menos chances de que ele tenha problemas dessa natureza, o que torna a contratação mais eficiente.

E como morar no exterior pode fazer você ganhar pontos em relação à cultura da empresa? Ao viver em um novo país, você precisará aprender um novo idioma e ter fluência nele para interagir com os moradores locais durante o tempo de seu intercâmbio. E isso é um fato muito importante a ser considerado em um processo seletivo, já que é comum candidatos que se declaram fluentes em um idioma, mas que não conseguem interagir nele. Se a empresa for multinacional e parte dos negócios forem realizados no idioma que você domina, esse já é um ponto positivo.

Mas não é só isso. Um idioma traz consigo a cultura do lugar que o fala, e, por ter convivido com pessoas de lá, quem faz intercâmbio aprendeu não só uma nova língua, mas também outra cultura. Provavelmente, adaptou-se a ela e deve até manter em sua rotina alguns costumes aprendidos em sua experiência internacional. O que demonstra adaptabilidade e facilidade de lidar com o diferente.

Dependendo do local do intercâmbio, é possível aprender diversas culturas, porque você conhece pessoas de outros países, que apresentam um pouco da cultura deles. Ainda é viável viajar e conhecer um pouco da cultura dos países próximos de onde você estiver. Enfim, em relação à cultura, fazer um intercâmbio abre um universo de possibilidades que só têm a enriquecer a experiência.

Pensar fora da caixa

Você é bom de improvisar soluções? Desenvolver essa habilidade é mais um dos benefícios de se fazer um intercâmbio — e que é valorizado pelas empresas. Isso acontece porque, nessas situações, é comum que as pessoas vivam situações até então impensadas. Afinal, é tudo novo, diferente e nem sempre você tem para quem (ou sabe como) pedir ajuda.

Mas nada de pânico, isso é muito bom! Por quê? São nesses casos que você aprende a pensar fora da caixa e encontrar as mais fantásticas e inusitadas, soluções para os problemas.

É assim que você aprende a improvisar, a criar peças de reposição para utensílios domésticos, reparar móveis e partes da casa, conhecer a vizinhança, entre outras possibilidades que somente situações de emergência, como o rompimento de um cano, são capazes de proporcionar.

Você sobreviverá a todas e ainda será valorizado em seu retorno ao mercado de trabalho brasileiro, pois a capacidade de buscar soluções fora do convencional é muito bem-vista em processos seletivos.

Sair da zona de conforto

Profissionais capazes de sair da sua zona de conforto são cada vez mais desejados pelas instituições. Assim, aceitar o desafio de se lançar ao novo não traz benefícios apenas no âmbito pessoal; em um processo seletivo isso também será considerado como um fator positivo e pode até ser decisivo. Eis, então, mais um ponto positivo para a experiência de se fazer um intercâmbio.

A decisão de estudar em outro país pode parecer fácil de ser tomada, afinal você vai aprender um novo idioma e, com isso, melhorar seu currículo, mas não é simples assim. Na verdade, ela indica uma grande iniciativa e capacidade de sair da zona de conforto, uma vez que passar um tempo em outro país significa estar distante de parentes e amigos, e, consequentemente, abrir mão dos momentos e da convivência com o que lhe é familiar.

Durante algum tempo, você acompanhará, por meio das redes sociais e dos aplicativos de comunicação, momentos como casamentos, aniversários, problemas de saúde e comemorações daqueles que você ama no Brasil. Isso nem sempre é fácil, mas é por uma justa causa.

Esses fatos influenciam a decisão de morar no exterior, testam o emocional de quem decide ir, amadurecem e moldam uma pessoa mais forte e um profissional melhor qualificado.

Trabalhar em equipe

Essa é mais uma situação valorizada pelas empresas com a qual o intercâmbio só tem a contribuir. Os recrutadores já sabem que morar no exterior desenvolve no candidato a habilidade do trabalho em grupo. Portanto, esse é outro diferencial no momento do processo seletivo, já que um problema para algumas empresas é o colaborador extremamente capacitado, mas que não consegue resultados ao trabalhar em equipe.

Durante o intercâmbio, a forma de moradia mais comum e barata pela qual a maioria dos brasileiros optam é a compartilhada. Ou seja, provavelmente você não vai alugar um apartamento sozinho, mas, sim, dividir um com outros estudantes ou ficar na casa de alguma família local.

De uma forma ou de outra, você vai aprender a compartilhar seu espaço com pessoas até então desconhecidas. E, de algum modo, encontrará um meio de fazer tudo dar certo até o fim da sua jornada. Acredite, essa será uma experiência valiosa para a sua vida, pois dividir moradia em um novo país será uma aventura e tanto.

Contudo, por mais dura que possa parecer ser a experiência ao longo do intercâmbio, durante um processo seletivo no Brasil, ela demonstrará sua capacidade de trabalhar em equipe. Afinal, você sobreviveu à experiência, possivelmente construiu laços com seus colegas de moradia, e, agora, sabe muito bem como fazer dar certo a convivência com pessoas até então desconhecidas.

Novas práticas e estratégias de mercado

Alguns países, como a Austrália e Nova Zelândia, permitem que você trabalhe legalmente durante o seu intercâmbio, caso embarque para o país com o visto de estudante. Essa experiência de trabalho internacional ajudará você a conhecer diferentes necessidades do mercado, aprenderá novas formas de solucionar problemas e diferentes práticas empresariais, terá acesso a tecnologias e ferramentas de trabalho.

Você também descobrirá novas formas de se relacionar com clientes, colegas de trabalho e chefes, que podem ter perfis e comportamentos diferentes do brasileiro.

Essa vivência permitirá que você se torne um profissional mais completo, desenvolvendo uma visão mais ampla e global do mercado, e capaz de oferecer soluções inovadoras e alternativas modernas para situações do dia a dia profissional.

Morar no exterior pode ser fator decisório para a contratação, principalmente em empresas internacionais e startups, que têm a globalização em sua essência. Portanto, se o seu objetivo é se destacar no mercado e ser bem-sucedido em empresas assim, fazer um intercâmbio é fundamental.

Você tinha ideia de que morar no exterior poderia trazer tantas vantagens para seu currículo? Ficou alguma dúvida sobre como o intercâmbio potencializa suas chances de conseguir a vaga na empresa dos seus sonhos? Deixe seu comentário, assim poderemos ajudar você a saber mais sobre o tema!

Mail